sábado, 16 de julho de 2011

A Geografia e os avanços tecnológicos

A evolução da tecnologia atualmente acontece de forma tão rápida que é quase impossível acompanhar as mudanças e as inovações que surgem a todo momento. A inteligência humana busca constantemente soluções mais eficazes para produtos, equipamentos, veículos, eletroeletrônicos, etc. que tornam nossa vida mais fácil. Quem imaginava que o futuro era apenas coisa de cinema enganou-se, pois, ele já chegou e, de certa forma, superou e está superando expectativas.
Inserindo, especificadamente, estas inovações para “o mundo geográfico” podemos dizer que a tecnologia e seus avanços contribuíram enormemente para elevar a geografia a um patamar nunca antes imaginado. Quem poderia prever que em épocas remotas, de povos da antiguidade como os da Grécia antiga, império Romano, Mesopotâmia, entres outros, que poderíamos utilizar  imagens de satélites de alta resolução espacial para a confecção de mapas? Talvez, mapas como o T-O ou o de Hereford, alguns dos primeiros mapas desenvolvidos, tivessem uma configuração diferente e uma melhor representação se utilizassem as modernas técnicas de geoprocessamento e sensoriamento remoto.

     Fonte: The Hereford Map. Em: http://www.dac.neu.edu/english/kakelly/med/hereford.html

A disponibilidade de softwares, de imagens de satélites e de equipamentos, como o GPS (tanto os de navegação, como os topográficos e os geodésicos), radares, barômetros, espectrômetros, supercomputadores... etc. facilitam e dinamizam em muito o trabalho de análise e de pesquisas em várias áreas objeto de estudo dos Geógrafos.
Inclusive no ensino em sala de aula o avanço da tecnologia contribui significativamente para a melhoria do aprendizado, pois, possibilita que o aluno tenha contato prático com o que foi aprendido teoricamente, colaborando para uma melhor “absorção” dos conteúdos, com o uso de aparelhos GPS e de mídias interativas, por exemplo.
Falando em mídias interativas destacamos a contribuição do software Google Earth, que revolucionou a maneira como “enxergamos” a terra. A partir desta ferramenta do Google é possível visualizar quase todos os cantos do planeta, de leste a oeste, de norte a sul. Gradativamente o Google Earth se inova, lançando aplicativos e plataformas que permitem conhecer lugares sem que para isso tenhamos que sair da frente do computador.
Entre as inúmeras possibilidades de navegação através deste recurso chamam a atenção as descobertas realizadas por cientistas de várias partes do mundo através do Google Earth. O site Cracked.com publicou recentemente algumas descobertas excepcionais para a humanidade, que só foram possíveis graças a esta ferramenta.
Muitas destas descobertas estão em ambientes desconhecidos do planeta, como uma floresta em Moçambique, descoberta por cientistas britânicos, onde, foram encontradas espécies que evoluíram por anos sob completo isolamento de outras criaturas conhecidas.
Outra descoberta realizada a partir do Google Earth foi a de um pesquisador italiano que durante uma pesquisa das imagens do software se deparou com algo extraordinário em uma das áreas mais remotas e difíceis de explorar no planeta: o deserto do Saara. O que apareceu em sua tela era algo geralmente visto somente em nossa própria Lua e outros planetas - uma cratera, aberta pelo impacto de um meteorito, com 48 m de diâmetro. Uma vez que o Saara é um lugar tão difícil para a manutenção da vida, como a Lua e outros planetas, a evidência deixada pelo meteorito ficou intocada.
O Cracked.com também publicou outras descobertas realizadas através do Google Earth, como a de escavadores que acharam em uma caverna da Itália uma larga pedra com fósseis de uma baleia que datavam de 40 milhões de anos; a de um professor que estava usando o Google Earth para procurar cavernas e terrenos desconhecidos em Joanesburgo, na África do Sul, quando percebeu uma série de desníveis em um determinado terreno, o que poderia indicar que havia ossadas enterradas ali, que teriam 2 milhões de anos e, a descoberta do programador Luca Mori. Este, quando “passeava” pelo Google Earth na cidade de Sorbolo, na Itália, descobriu restos de construções de antigas civilizações. Quando ele foi ao local viu que grande parte das construções estava, na verdade, enterrada e eram de uma vila romana, datada em 2 mil anos.
Percebe-se que a evolução da ciência tem ligação direta com as inovações tecnológicas. Exemplos como os do Google Earth, simbolizam este novo mundo que a cada dia se reinventa.
De um modo particular a tecnologia subsidia e fornece contribuições importantes para que a ciência de um modo geral e, em especial a ciência geográfica, que se detém no estudo da superfície terrestre e a distribuição espacial de fenômenos significativos na paisagem, possa se desenvolver ainda mais, possibilitando a seus estudiosos e pesquisadores múltiplas formas de desvendar e caracterizar o planeta.


Acesse as fotos das descoberta em:

3 comentários: